Glauco: do riso ao pranto

sexta-feira, 12 de março de 2010

| | |
Por Nat Valarini

Faz tempo que deixei o Fully Flexible às mínguas, sedento por um texto novo, uma notinha que fosse. Eis que, depois de meses de dieta literária, cá estou, mas não para falar sobre um assunto tão agradável: a violência que atinge a todos os lugares e que acaba de ceifar outra vida. 

Um gesto de brutalidade, cometido na madrugada desta sexta-feira, foi responsável pela morte de um dos mais criativos cartunistas brasileiros: Glauco Villas-Boas ou, simplesmente, Glauco

Segundo relatos, homens armados, conhecidos da família, invadiram a propriedade, renderam o desenhista e seus parentes e, após uma discussão, efetuaram disparos contra ele e o filho do artista, Raoni de 25 anos, e fugiram em seguida. Foi prestado socorro aos dois, mas eles não resistiram aos ferimentos. 

Este paranaense de 53 anos partiu e deixou órfãos grandes personagens como 'Doy Jorge' (imagem), ‘Zé Apocalipse’, ‘Geraldão’, ‘Casal Neura’ e, também, seus fãs.
Glauco, tantas vezes você me arrancou o riso... Agora, sua partida derramou meu pranto.  

5 comentários:

Marcelo Vital disse...

O cara era bom demais! Essas tirinhas marcaram muito minha infância/adolescência, me amarrava nas surrealidades do Geraldão, Doy Jorge e cia.

Confesso que andava até esquecido dessa "turma", mas sem dúvida a notícia me deixou muito triste, ainda mais da forma como aconteceu. Uma perda totalmente desnecessária.

Sou solidário nas tuas lágrimas, e torçamos pra que papai do céu nos encaminhe alguém com pelo menos metade do talento dele, já seremos muito gratos.

Beijao e parabéns pelo texto, lindona

Vital

Pedro disse...

Ridículo isso que fizeram com ele!
A violência só aumenta!
Daqui a alguns dias ninguém poderá sair na porta de casa!!

Cleriston disse...

É realmente muito triste levantar cedo pra ouvir uma notícia dessas.

Tipo, eu conhecia pouco o trabalho do Glauco, mas sempre soube que ele era genial. Chorei de rir quando li Los Três Amigos, que ele fez com o Laerte e o Angeli. Uma pena mesmo que um cara tão genial se vá dessa forma.

Só espero que sempre tenha um Miguelito a ser abatido onde ele estiver...

torradastostadas disse...

grande perda na hora errada. quem vai estampar sorrisos nos nossos rostos enquanto lemos as tragédias no jornal?

Jaime Guimarães disse...

Eu cresci lendo, ao lado de outras HQ's e livros, Chiclete com Banana, MAD e Geraldão. O Glauco era uma referência como chargista, quadrinista e artista. Fiquei puto quando soube de sua morte, ainda mais de forma tão ridícula como foi!

Como hoje é fácil matar, como qualquer motivo é válido para justificar a violência! Uma bela sociedade essa que criamos, nada é à toa!

Deixa eu parar por aqui senão vira discurso...rs

Kisoj!

Postar um comentário