Voluptuous Death - Como foi criada a fotografia de Philippe Halsman e Salvador Dali

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

| | | 0 comentários
Por Natália Valarini


Quem gosta de arte e, em especial, do movimento Surrealista já viu o amplo trabalho de Salvador
Dali. Além de pintura, escultura e cinema ele também se aventurou pela fotografia com um estilo bem característico.
Para uma das fotos surrealistas mais conhecidas "Voluptuous Death" - 1951, Dalí fez parceria com o fotógrafo Philippe Halsman, que conheceu em 1941, e com o qual trabalhou ao longo de 30 anos. 
Criaram juntos um crânio gigante, formado pelos corpos nus de 7 mulheres apoiadas em um suporte metálico e no canto, à esquerda, está Dali trajando roupa de gala e uma imponente cartola, bengala na mão, como se estivesse observando alguém que não se pode ver na cena. 
Sem grandes recursos de edição, como era de se esperar para a época, os artistas criaram uma imagem surpreendente. Abaixo há diversas imagens do processo de criação desta imagem, confira:
 




Fonte

Festival SESI Bonecos do Mundo 2013

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

| | | 0 comentários




O público de Brasília tem até o dia 18/08/2013 para conferir o Festival SESI Bonecos do Mundo. As apresentações acontecem no Museu da República, no Complexo Cultural da República, ao lado da Rodoviária.
São atrações de diversos países e a entrada é GRATIS!!!

Confira toda a programação aqui: http://www.sesibonecos.com.br/

Imagens fortes e delicadas de Sylvia Ji

| | | 0 comentários



Por Nat Valarini


Conheci o trabalho de Sylvia Ji em 2010. Na época apenas olhava para os quadros e me sentia tocada por sua beleza, isso bastava. Hoje, estudando fotografia e com várias matérias sobre arte e seus elementos, vejo que mais do que uma bela figura: o trabalho desta artista plástica de San Francisco – USA,  traz uma mensagem visual muito intensa.
Suas mulheres são extremamente femininas, delicadas, sedutoras e provocativas, mas sem deixar de lado a sua força. Esses elementos (e outras referências culturais como caveiras mexicanas) estão presentes nas figuras. Para mim ela vive sua arte de uma forma linda.

No quadro abaixo, vejo a feminilidade plena, de olhos fechados , parecem se conectar consigo mesmas e com o momento.

Vale a pena conhecer o trabalho dela, confira: http://www.sylviaji.com

In the Arms of Sleep 2010 - Sylvia Ji

Está sem pauta? Anote a receita de sucesso

sexta-feira, 13 de abril de 2012

| | | 0 comentários
Por Natália Valarini

Há oito meses faço parte do Parceiro do DF e quando soube que fui escolhida, pensei:
- Agora é hora de correr atrás das pautas!
É verdade que alguns assuntos vem parar no colo da gente, ainda mais no meus caso que uso muito as redes sociais, então quase todo dia alguém entra em contato para falar de algum assunto.
De qualquer forma, o mais importante nesse trabalho é sair, ver gente, olhar a cidade com o famoso olhar estrangeiro que vê tudo como se fosse a primeira vez e enxerga em algo que parecia ser simples e corriqueiro a oportunidade de fazer uma boa história.
Notei que, as melhores sugestões de matérias surgem nas ruas, de pessoas que assistem a gente no DFTV, não tem acesso a internet, mas aproveitam a oportunidade de ver os parceiros do DF para dizer o que está acontecendo na comunidade, pois acreditam no nosso trabalho.
Se você trabalha no ramo e ainda está atrás de uma receita mágica para conseguir pauta, segue:

Ingredientes: 
2 parceiros, 1 câmera e 1 microfone
Modo de fazer:
Misture tudo, comece a gravar debaixo do sol quente e voilà: as pessoas começam a abordar e sugerir.
Agora é só selecionar os melhores pedaços, digitar a proposta e servir na próxima reunião, rende de 3 a 5 matérias.

Resumo da ópera?
Há receita mágica. Quando estamos nas ruas gravando as sugestões de pautas transbordam, é impressionante ;)

Parceiro do DF Planaltina: Praça dos Namorados

quarta-feira, 28 de março de 2012

| | | 0 comentários
Por Natália Valarini

Quem mora em Planaltina gosta de frequentar as pracinhas da cidade.
Sozinho ou acompanhado, não importa a idade, a tradição de sentar no banco da praça para namorar ou conversar com os amigos atravessa gerações.
O problema começa quando esse espaço não está bem cuidado, como está acontecendo com a Praça dos Namorados.
Pode andar por todo local que você não vai encontrar uma lixeira sequer, com isso, as floreiras feitas de madeira rústica perderam suas plantas e estão cheias de lixo. 
E os bancos... o que falar deles?
Quando você encontra algum com assento, ele está quebrado!
Para não dizer que não existe nenhum inteiro, o único que não estava estragado foi aquele em que eu apareço sentada no início da reportagem, nos outros ninguém pode sentar com conforto.
Agora, sabem o que é mais curioso nisso tudo?
A Praça dos Namorados é vizinha da Administração de Planaltina, isso mesmo!
O problema mora ao lado de quem poderia ter resolvido tudo há tempos.

Em entrevista ao Parceiro do DF, Nilvan Vasconcellos, administrador de Planaltina, disse que os bancos não estão quebrados devido a ação do tempo e nem por causas naturais como queda de árvore, mas sim por ação danosa (vândalos), mas que vai tomar providências.
Perguntei quanto tempo isso vai levar.
Vasconcellos disse que no máximo em 15 dias tudo será resolvido.

Já estava em tempo, não é?

Parceiro do DF está de olho, vamos acompanhar essa reforma para que tudo não fique apenas em promessas. A população de Planaltina tem várias necessidades e, uma delas, é ter um lugar público, limpo e seguro para passear com a família e os amigos.
A praça dos Namorados é nossa e queremos que ela seja bem cuidada!

Assita ao vídeo:
Reportagem: Natália Valarini ( @nataliavalarini )
Imagens: Léo Ricardo


Tomboy

terça-feira, 6 de março de 2012

| | | 0 comentários
por Natália Valarini

Cada vez mais fico apaixonada pela sétima arte.
Perdi as contas de quantas segundas-feiras seguidas saio da reunião na TV e vou ao Cine Cultura Liberty Mall, um cinema independente que passou por reformas e está recheado de lançamentos interessantíssimos, muitos europeus.
Esta semana o escolhido foi Tomboy.

Fiquei super intrigada ao ler a sinopne: "Tomboy" é a denominação dada para meninas que gostam de agir como meninos. No filme, Laure é uma menina de dez anos, que muda de casa constantemente, em decorrência do trabalho do pai. Ao ir para uma nova residência ainda nas férias, ela faz amizade com uma grande turma de garotos da vizinhança, mas se apresenta como Mikael. Isso faz com que ela se aproxime de Lisa, a única menina do grupo. Não demora até que Lisa caia em amores por Mikael, mas as férias estão para acabar e Laure não sabe como fará para manter seu segredo." - Fonte: Filmow

- Que genial!, pensei.

Uma película que traz uma atriz tão jovem no papel principal, Zoé Héran de apenas 10 anos (e que interpretou muito bem, diga-se de passagem), mostrando um tema tão delicado, com a pureza do olhar infantil: a homossexualidade e a busca por uma identidade.
Na história, notei que a família de Laure é muito ausente. E, quando a mãe dela percebe que a filha se passa por um menino, é muito dura com ela.
Enfim, não vou contar os pormenores de Tomboy, pois quero que vocês assistam e tenham o prazer na surpresa.

A diretora e roteirista Céline Sciamma (Lírios D’Água), concebeu mais um daqueles filmes que te deixam com a cabeça zonza, cheia de reflexões e, sim, emocionado.

País de Origem: França
Estreia no Brasil: 20 de Janeiro de 2012
Estreia Mundial: 20 de Abril de 2011
Duração: 84 minutos

http://www.youtube.com/watch?v=onYkjprd-t8

Follow me on Twitter: @nataliavalarini